António Carmo

António Carmo nasceu em 1949 em Lisboa. Ingressa na Escola de Artes Decorativas António Arroio, onde cursou Pintura Decorativa. Ainda como estudante começa a frequentar as tertúlias de Lisboa, nomeadamente na Brasileira do Chiado, Café Tarantela, Café Vává, Leitaria Garrett, etc.

Saber mais

Na Brasileira, conheceu e conviveu com algumas das figuras conhecidas da cultura nacional, tais como Almada Negreiros, Abel Manta, Jorge Barradas e João Hogan que, em 1970 apadrinhou a sua exposição na Galeria Diário de Notícias, e outros que ainda hoje fazem parte do seu convívio diário, entre estes, Virgílio Domingues, Alberto Gordillo e Luís Lobato.

Em 1968 faz a sua primeira exposição individual, na Galeria Nacional de Arte em Lisboa. Nesse mesmo ano, ingressa no Grupo de Bailados Portugueses Verde Gaio, aí permanecendo por dezoito anos e onde conheceu alguns grandes nomes do bailado internacional. Nesse período, para além de participar como bailarino, fez ainda os figurinos e cenários para alguns bailados do Grupo.

A partir de então inicia uma carreira internacional sendo a sua primeira exposição na Galeria Solidair em Roterdão/Holanda, vindo a fixar-se temporariamente em Bruxelas onde há cerca de 22 anos mantém uma permanência constante nalgumas galerias, tais como: Galerie L’Oeil, Racines e, mais recentemente a Galerie Albert I.

Em Bruxelas, executa ainda dois murais de grandes dimensões para a ABEP (Associação de Portugueses Emigrados na Bélgica) que foram, recentemente, doados à Câmara de S. Gilles/Bruxelas.

Dentro do espírito de divulgação cultural que está sempre presente na sua postura social, ilustrou durante alguns anos o “Suplemento Cultural” do matutino O Diário bem como outros jornais. Formou ainda o Grupo Paralelo, na Primavera de 1974, juntamente com alguns pintores e escultores: Adão Rodrigues, Alberto Gordillo, Álvaro Perdigão, António Trindade, Cipriano Dourado, Estevão Soares, Guilherme Casquilho, Teixeira Lopes, Ribeiro Farinha, Rogério Amaral e Virgílio Domingues. A ele aderiram posteriormente vários outros artistas plásticos, entre os quais Boavida Amaro, João Duarte, João Hogan, Jorge Vieira, José António Flores, Lurdes Freitas, Maurício Penha, Noémia Cruz e Querubim Lapa..

Do seu curriculum fazem parte inúmeras exposições tanto nacionais como estrangeiras que convida a ver na rubrica  “EXPOSIÇÕES”.

Representações Nacionais

Museu Tavares Proença Júnior em Castelo Branco,

Museu Armindo Teixeira Lopes em Mirandela,

Museu Martins Correia na Golegã,

Museu Grão Vasco em Viseu,

Museu Diogo Gonçalves em Portimão,

Museu Municipal de Estremoz,

Museu Convento de Jesus em Setúbal,

Museu Caixa Geral de Depósitos em Lisboa,

Museu do Desporto em Lisboa,

Museu Dr. Santos Rocha na Figueira da Foz,

Colecção da Câmara Municipal da Amadora,

Colecção de Banco de Portugal,

Colecção de Instituto Cultural de Macau,

Colecção de Montepio Geral,

Colecção de Câmara Municipal de Lisboa,

Colecção de Câmara Municipal de Beja,

Colecção de Câmara Municipal de Palmela,

Colecção de Câmara Municipal de Seixal ,

Colecção de Câmara Municipal de Castro Verde

Colecção do Banco Internacional do Funchal

Colecção da Câmara Municipal de Peniche

Colecção do Palácio da Justiça no Barreiro

Representações internacionais

Museus Montecatini em Itália, S. Antonio de Los Bãnos em Cuba, Palácio da Cultura na Bulgária, Angola, Pantwowe na Polónia, Colecção privada de Bodo Hüsing-Hoge na Suiça e Instituto Camões no Luxemburgo. Paineis de grandes dimensões na APEB em Bruxelas.

Menções

Portuguese 20th Century Artists de Michael Tannok, Dicionário dos Pintores e Escultores Portugueses de Fernando Pamplona, The World’s Art Directory, Livro de Artistas em Portugal de Margarida Botelho, Artist Yearbook International, Aspectos das Artes Plásticas em Portugal de Fernando Infante do Carmo e Enciclopedia Luso-Brasileira Verbo/Edição 98. Brasil Arteshow 2005 de Enock Sacramento e Who´s Who of Australian Visual Artists.

Prémios de Ilustração

Especial MAC 1997 Pintura MAC 2000.

Carreira MAC 2007

Artista Exclusivo

Japan Arts Bank / Tokyo para o Japão e Galerie Albert I / Bruxelas para a Bélgica. Quadros em permanência nas Galerias Albert I em Bruxelas.

Albino Moura

Alentejo o sobreiro

Dimensões: 50 x 70

Técnica: Óleo s/ tela

Privacy Preference Center

Fechar a sua conta?

Your account will be closed and all data will be permanently deleted and cannot be recovered. Are you sure?

Pin It on Pinterest

Share This